Domingo, 31 de Maio de 2009

SE EU PUDESSE...

rom125.gif


Se eu pudesse parar
minha vida e dar 
eternidade a um
só momento...


 

 

publicado por Maria Glaene às 19:38
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 21 de Maio de 2009

Que eu não perca

Que Deus não permita que eu perca o Romantismo,

mesmo eu sabendo que as rosas não falam.

Que eu não perca o Otimismo,mesmo sabendo que

o futuro que nos espera não é assim tão alegre.

Que eu não perca a Vontade de Viver,mesmo sabendo

que a vida é,em muitos momentos dolorosa...

Que eu não perca a vontade de Ter Grandes Amigos,

mesmo sabendo que,com as voltas do mundo,eles

acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de Ajudar as Pessoas,

mesmo sabendo que muitas delas são incapazes  de

ver,reconhecer e retribuir esta ajuda.

Que eu não perca o Equilíbrio,mesmo sabendo que

inúmeras forças querem que eu caia.

Que eu não perca a Vontade de Amar,mesmo sabendo

que a pessoa que eu mais amo ,pode não sentir o

mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a Luz e o Brilho do Olhar,mesmo

sabendo que muitas  coisas que verei no mundo,

escurecerão meus olhos...

Que eu não perca a Garra,mesmo sabendo que a

derrota e a perda são dois adversários extremamente

perigosos.

Que eu não perca a Razão,mesmo sabendo que as

tentações da vida inúmeras e deliciosas.

Que eu não perca o Sentimento de Justiça,mesmo

sabendo que o prejudicado possa ser eu.

Que eu não perca o meu Forte Abraço,mesmo  sabendo

que um dia meus braços estarão fracos.

Que eu não perca a Alegria e a Beleza de Ver,mesmo

sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos

e escorrerão pela minha alma...

Que eu não perca o Amor Por Minha Família,mesmo

sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços

incríveis para manter sua harmonia.

Que eu não perca a vontade de Doar Este Enorme Amor

que existe em meu coração,mesmo sabendo que muitas

vezes ele será submetido  e até rejeitado.

Que eu não perca a vontade de ser Grande,mesmo

sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama

infinitamente,que um pequeno grão de alegria e esperança

dentro de cada um é capaz de mudar e transformar

qualquer coisa,pois...

A Vida é construída nos Sonhos e concretizada

no Amor!!

 

 

publicado por Maria Glaene às 01:08
link do post | comentar | favorito

Anjo

Anjo

 

Queria ser um anjo
Para com minhas asas
te abraçar
Queria ser um anjo
Para o teu lado voar
 
Te envolver em meu peito
E com minhas asas te guardar
 
Te guardar, meu,
Para sempre
E com meus lábios ardentes
Em minha vida, te lacrar
publicado por Maria Glaene às 01:00
link do post | comentar | favorito

AFINIDADE...

Arthur da Távola



A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil,
delicado e penetrante dos sentimentos.
É o mais independente.

Não importa o tempo, a ausência, os adiamentos,
as distâncias, as impossibilidades.
Quando há afinidade,
qualquer reencontro retoma a relação,
o diálogo, a conversa,
o afeto no exato ponto em que foi interrompido.

Afinidade é não haver tempo mediando a vida.
É uma vitória do adivinhado sobre o real.
Do subjetivo para o objetivo.
Do permanente sobre o passageiro.
Do básico sobre o superficial.

Ter afinidade é muito raro.
Mas quando existe
não precisa de códigos verbais para se manifestar.
Existia antes do conhecimento,
irradia durante e permanece
depois que as pessoas deixaram de estar juntas.
O que você tem dificuldade de expressar a um não afim,
sai simples e claro diante de alguém com quem você tem afinidade.

Afinidade é ficar longe pensando parecido
a respeito dos mesmos fatos que impressionam,
comovem ou mobilizam.
É ficar conversando sem trocar palavras.
É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.

Afinidade é sentir com, nem sentir contra,
nem sentir para, nem sentir por, nem sentir pelo.
Quanta gente ama loucamente,
mas sente contra o ser amado.
Quantos amam e sentem para o ser amado,
não para eles próprios.

Sentir com é não ter necessidade de explicar
o que está sentindo.
É olhar e perceber.
É mais calar do que falar, ou, quando é falar,
jamais explicar: apenas afirmar.

Afinidade é jamais sentir por.
Quem sente por, confunde afinidade com masoquismo.
Mas quem sente com, avalia sem se contaminar.
Compreende sem ocupar o lugar do outro.
Aceita para poder questionar.
Quem não tem afinidade, questiona por não aceitar.

Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças.
É conversar no silêncio, tanto nas possibilidades exercidas
quanto das impossibilidade vividas.

Afinidade é retomar a relação no ponto em que parou
sem lamentar o tempo de separação.
Porque tempo e separação nunca existiram.
Foram apenas oportunidades dadas (tiradas) pela vida,
para que a maturação comum pudesse se dar.
E para que cada pessoa pudesse e possa ser,
cada vez mais a expressão do outro
sob a forma ampliada do eu individual aprimorado.

(Repasse com os devidos créditos)

publicado por Maria Glaene às 00:43
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 13 de Maio de 2009

Mesmo que eu fale em línguas,

 

Mesmo que eu fale em línguas, a dos homens e a dos anjos,

se me falta o amor, sou um metal que ressoa, um címbalo retumbante.

Mesmo que tenha o dom da profecia,

o saber de todos os mistérios e de todo o conhecimento,

mesmo que tenha a fé mais total, a que transporta montanhas,

se me falta o amor, nada sou.

Mesmo que distribua todos os meus bens aos famintos,

mesmo que entregue o meu corpo às chamas,

se me falta o amor,

nada lucro com isso.

O amor tem paciência, o amor é serviçal,

não é ciumento , não se pavoneia, não se incha de orgulho,

nada faz de inconveniente, não procura o próprio interesse,

não se irrita, não guarda rancor,

não se regozija com a injustiça,

mas encontra a sua alegria na verdade.

Ele tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca desaparece.

As profecias? Serão abolidas.

As línguas? Acabar-se-ão.

O conhecimento? Será abolido.

Pois o nosso conhecimento é limitado e limitada a nossa profecia.

Mas quando vier a perfeição, o que é limitado será abolido.

Quando eu era criança, falava como criança,

pensava como criança, raciocinava como criança.

Quando me tornei homem, pus cobro ao que era próprio da criança.

Agora, vemos em espelho e de modo confuso 

mas então, será face a face.

Agora, o meu conhecimento é limitado;

então, conhecerei como sou conhecido.

Agora, portanto, permanecem estas três coisas,

a fé, a esperança e o amor,

mas o amor é o maior.

(1Cor 13)

 

 

publicado por Maria Glaene às 01:45
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 3 seguidores

.pesquisar

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

. Fernando Pessoa

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Fernando Pessoa

. A Corrente Da Felicidade

. Amiga Maldita

. Escolhe

. Eco da Vida

. Consertei o Mundo

. Milho Bom

. A piscina e a cruz

. Anos dourados...

. ***De todas as coisas que...

blogs SAPO

.subscrever feeds